sábado, janeiro 22, 2005

Mais Walter Williams

Esta lição 8 do Walter Williams está muito boa. Principalmente para os que não entendem muito de economia.

Trecho: Economic theory is broadly applicable. However, a society's property-rights structure influences how the theory will manifest itself. It's the same with the theory of gravity. While it, too, is broadly applicable, attaching a parachute to a falling object affects how the law of gravity manifests itself. The parachute doesn't nullify the law of gravity. Likewise, the property-rights structure doesn't nullify the laws of demand and supply.
Boa leitura para o final de semana

A World Connected - Superstar Tsunamis v. Silent Killers

Trecho: Today, however, the WHO is adrift in a sea of political correctitude. It gives lip service to Third World needs, but devotes a lot of attention to First World concerns like obesity, traffic deaths, cancer and global warming. But Asian children dying of vitamin A deficiency and malnutrition hardly need to worry about obesity. African villagers are much more likely to be struck down by sleeping sickness than by an errant car. Indian and Bolivian mothers, hacking away from tuberculosis or wasting away from dysentery, are not immediately concerned with global warming either.

As to conjectural theories of catastrophic global climate change, Danish environmentalist Bjorn Lomborg calculates that the Kyoto treaty would slash annual global economic growth by $150 billion – to cut hypothetical temperature increases by 0.3 degrees by 2050. Maybe this is a noble goal, but everything comes at a cost. For half that amount, Lomberg says, we could provide clean water, proper sanitation, quality education and modern healthcare for every poor person on the planet. And if these NGOs were really thinking about the world’s poor, they might insist that leaders in these countries build in the institutions that would help them develop rights, wealth and infrastructure internally.
Meus alunos dizem que sabem inglês mas...

...será que eles sabem formular idéias escritas em inglês? Eis aí uma boa chance de mostrar que sim: A World Connected - 2005 Essay Contest.

E então? Vai tentar ganhar uns trocados?

sexta-feira, janeiro 21, 2005

Finalmente...

Demorou quase um mês. Enquanto o IBPT e outras centenas de entidades se mobilizam há dias, somente agora o Cofecon que mais parecia se entreter em estar no fórum social (qual a posição do Fórum Social sobre esta medida? É a favor? Contra? Como justifica isto com sua ideologia que é qualquer coisa menos "capitalista"?) do que em se posicionar a favor de seus associados.

Se o leitor notar, verá que as páginas dos CORECONs mudarão bastante nos próximos dias. Parece que a ambiguidade em relação ao governo federal terá de sumir. Não dá mais para jogar a culpa no Banco Central apenas.

Que bom. Parece que ainda há vida nestes conselhos.
Comércio Internacional para leigos

Se você concorda com Celso Amorim, então não conseguirá ler o texto abaixo. Mas se quiser ler um bom texto sobre comércio internacional sem medo de ser feliz, veja: CFR Publications: The Truth About Trade.

quarta-feira, janeiro 19, 2005

Boeing X Airbus

Dessa vez, acho que o pessoal da Airbus acertou lançando o colossal A380. Enquanto isso, a Boeing está para lançar o 7E7, um avião menor mas que poderá levar as pessoas diretamente ao destino.
Por que penso que a Airbus acertou? Cada vez teremos mais velhinhos viajando. E velhinhos se importam menos com a demora em chegar, do que os preços das viagens. Se, de fato, o A380 for mais barato do que os outros aviões, ele será a primeira opção dos idosos.
Ao mesmo tempo, à inovação nos meios de comunicação levará a uma redução relativa (ou será que tb absoluta???) das viagens de negócios. E viajantes de negócio são o principal público visado pela Boeing, justamente porque o valor do tempo é elevadíssimo para eles.
Portanto, creio que a tecnologia e a demografia tendem a favorecer a Airbus. Bem, só daqui a uns 20 anos saberemos se estou certo ...
Galton

Todo economista que estudou crescimento na última década ouviu falar da Falácia de Galton. Mas, quem diabos, era este Galton?
Eu sabia que ele era o criador da análise de regressão, mas a vida dele é muito mais rica. Eu aprendi aqui que Francis Galton, primo do Darwin, tinha o lema "Whenever you can, count". Ele explorou a África, usava o sextante para medir o corpo da nativas, quantificou a arte do chá perfeito, fez o primeiro mapa metereológico, entre outras coisas interessantes. (Parece que ele também ficava dando notas para as inglesas com o objetivo de fazer um mapa da beleza no país. Isto deve ter sido difícil).
Ele também criou a eugenia e fumava haxixe. Ninguém é perfeito... e, como sustenta o autor da resenha, ele não poderia saber os rumos que a eugenia tomou no século XX.

terça-feira, janeiro 18, 2005

O que dizem os representantes dos economistas?

Enquanto associações de classe de médicos lutam por seus direitos contra a MP 232/2004, o que se lê na página principal do COFECON?



Posted by Hello

Minha sensação é que nossos representantes estão muito calados, mesmo com todo o barulho do tal fórum...

segunda-feira, janeiro 17, 2005

Para você que sempre teve dificuldades em entender o conceito de "custo econômico"...

Já citei antes (veja posts abaixo), mas este está muito bom: didático e preciso.

Economics for the Citizen (Part 5) by Walter Williams -- Capitalism Magazine

domingo, janeiro 16, 2005

Esquisito...

O grande Lopes-de-Silanes foi demitido de Yale. A razão: embolsou 150 mil dólares (!!!) desde 2001 com despesas fajutas de viagens.
Parece até deboche, mas ele tem um trabalho escrito com o Shleifer (que também corre o risco de ir para o xilindró por aquele rolo na Russia) chamado Theft Technologies.
Maiores informações, aqui.