sábado, fevereiro 28, 2004

Hayek: como o liberalismo pode ter uma agenda positiva para homossexuais

Virginia Postrel, ex-editora da minha revista favorita, a Reason, com um artigo que põe à prova até onde você é liberal ou conservador.

Claro, pode-se não concordar com ela, mas eu não diria que Hayek seria contra o casamento entre homossexuais....

Aí vai o artigo: Boston.com / News / Boston Globe / Ideas / Hayek on gay marriage
Como é que você realmente toma decisões econômicas?

Quer mesmo saber? Então pára de ver TV e beber cerveja. Tome um café e faça o download do texto: SSRN-Law & Neuroeconomics by Terrence Chorvat, Vernon Smith, Kevin McCabe.

Aí você verá como realmente pessoas pensam.
Crescimento e Investimento

O tempo passa, o tempo voa, e a discussão sobre causalidade entre crescimento e investimento continua numa boa. Em entrevista ao Estadão o Belluzzo observou que :

" Na China, onde houve o massacre da Praça da Paz Celestial e outros escândalos, há muito investimento estrangeiro. Lá o câmbio está muito desvalorizado e a economia cresce mais de 7% ao ano. A economia brasileira não recebe investimento direto porque não cresce. Só houve investimento de fato na privatização, porque foi patrimonial. Também houve na época do Juscelino (Kubitschek), no "milagre brasileiro" do período militar, no PND do (Ernesto) Geisel. O capital não vai onde não há promessa de crescimento e de lucro. O que eles vêm fazer aqui? Ver o Palocci dar depoimento na televisão? " .

Gostem do Beluzzo ou não, há certa razão nesta declaração. Propaganda e discurso não dão lucro. E o que atrai investimento é crescimento, ou a perspectiva de. Que venham os soviets !

quinta-feira, fevereiro 26, 2004

Brasil vai mal na distribuição de renda mundial

Lista da Forbes traz 587 bilionários; brasileiros são 6

A revista norte-americana Forbes divulgou a 18ª edição de seu ranking de bilionários. A lista de 2004 inclui 587 pessoas, com 64 novos integrantes. Dos 587 bilionários, 25 são latino-americanos, entre eles seis brasileiros. Segundo a revista, o patrimônio dos bilionários do mundo cresceu, depois de dois anos consecutivos de quedas, somando US$ 1,9 trilhão, US$ 500 bilhões a mais do que no ano passado.

Os brasileiros são:
1º - Joseph e Moise Safra (em 91º lugar no ranking, com US$ 4,7 bilhões)
2º - Aloysio de Andrade Faria (em 170º lugar, com US$ 2,9 bilhões)
3º - Julio Bozano (em 377º lugar, com US$ 1,5 bilhão)
4º - Abílio dos Santos Diniz (em 437º lugar, com US$ 1,3 bilhão)
5º - Jorge Paulo Lemann (em 514º lugar, com US$ 1,1 bilhão)
6º - Lily Safra (em 552º lugar, com US$ 1 bilhão).

Como diria o Boris Casoy : isto é uma vergonha !

quarta-feira, fevereiro 25, 2004

Mudança de atitude à vista ???

No Marginalrevolution, o Tyler Cowen comenta uma pesquisa que mostra que a elite americana adotou uma postura muito mais protecionista em anos recentes. A hipótese é que, devido ao movimento de outsourcing, agora quem está sofrendo com a competição estrangeira são os trabalhadores mais qualificados. Não é mais o operário americano que perde o emprego para um chinês, mas sim um arquiteto ou um analista de sistemas.

E o Brasil? O que é outsourcing lá, é insourcing aqui. Espera-se, portanto, que tenhamos mais brasileiros qualificados prestando serviços para empresas norte-americanas. Será que teremos posturas mais abertas ao comércio internacional por parte da elite local?
Belo exemplo de carência de internautas...

E muito boa a totalidade do artigo...sobre o google. E eu comecei com o Lycos, abandonei pelo AltaVista e, agora....

Wired 12.03: The Complete Guide toGooglemania!: "The first arrivals drifted in innocuously, like the stray seagulls lurking during the early minutes of Hitchcock's The Birds. They were mostly phrased as salutations and praise, posted to the reader comments area of many popular blogs. Harmless notes, at face value, but they harbored a secret menace.
The bloggers hit with these strange messages were victims of an insidious new species, now called 'comment spam.' But this was a strange sort of spam: Why would someone go to the trouble of spamming thousands of blog pages to deliver only glad tidings and hollow compliments?
The answer, oddly enough, is that the spammers weren't trying to win the attention of the bloggers or their readerships. They were trying to win the attention of Google, like the high school bully beating up the class nerd to impress the homecoming queen. The nerd feels violated, but the truth is that it isn't really about him at all.
The spammers were exploiting the fact that open comment forums on the Web let bloggers post HTML for free. And not just any Web pages: These are heavily valued by Google's PageRank algorithm, thanks to the chronic interlinking of the blogosphere. If you could convince one of those bloggers to link to your new site, you'd have instant credibility. And if you could persuade dozens of bloggers to place links, you'd be an overnight PageRank sensation. Because so much of the Web's traffic now funnels through Google's search engine, that higher ranking translates directly into more 'customers' for the spammer.
The (evil) genius of the comment spammers came when they realized that actually persuading the bloggers was unnecessary. All you have to do is post some benign text in the comment field and include a URL for your gambling site or Viagra emporium in discreet HTML. It doesn't hurt that some popular blog formats - notably Movable Type - have a standardized URL for posting comments, making it much easier to automate spam creation. The ultimate goal, of course, is to win the PageRank arms race against your competitors so the next time some hopeful soul types "penis enlargement" into Google, your site will arrive at the top of the list, having been validated by the sudden flood of links from the blogging community.
Boa discussão

Lá no Southern Exposure onde sou colunista, o Mike Derham colocou um polêmico e interessante tema para discussão. Sugiro, fortemente, que leiam. Comentários, lá, são mais que bem-vindos.

Aí vai o link, com um trecho pequeno:

Following on Bush's brief foray into immigration politics, Samuel Huntington (of "Clash of Civilizations" fame) has unleashed a corker of an article in next month's Foreign Policy magazine. Arguing that the challenge posed by hispanic immigration to the US will undermine "the Anglo-Protestant values that built the American dream," the chattering classes in the United States will be talking about this one for a while.

A quick read of the article reveals how much of a retread of previous "nativist" arguments Huntington's diatribe is. One can easily substitute "chinese," "irish," "catholic," or "eastern european" for "hispanic" in whole paragraphs of the article and have it become an argument from anytime in the past 150 years.
Medindo liberdades, corrupção....e dando aquela dica para o vagabundo aluno de monografia que é preguiçoso o suficiente para não procurar os dados na internet (e que não vai me agradecer, como sempre...) ou "Como Claudio fala da mesma coisa pela e-nésima vez"

Saiu um dos índices de liberdade (não é o meu preferido, mas...), o da Heritage Foundation. O Brasil continua, como sempre, bem ruinzinho. Mas há algumas observações interessantes (e algumas otimistas) na análise de nosso país.

Por exemplo: The volume of Brazil’s exports is only about 50 percent of Mexico’s, even though Mexico’s economy is half the size of Brazil’s. Brazil’s fiscal burden of government score is 0.9 point worse this year. As a result, its overall score is 0.09 point worse this year.

Quanto à liberdade política, bem, continuamos melhorando, mas ainda estamos com uma baixa pontuação. O bacana é que a ONG Freedom House classifica nossa economia - corretamente - como Capitaliststatist (assim mesmo, junto).

A liberdade de imprensa não vai bem também. Em homenagem aos jornalistas que li, durante a era Dutra, no RS, aí vai o protesto da Reporters sans frontières:

Marcelo Rech, editor of the daily Zero Hora, and José Barrionuevo, of Radio Gaúcha, both based in Porto Alegre (Rio Grande do Sul state), were sentenced on 6 June to five months and 10 days in prison or a fine for criticising state governor Olivio Dutra's position on the destruction by demonstrators on 20 April of a 500-year old clock in the city. The judge said there was a limit to criticism.

Ou seja, criticar um membro do PT, num jornal, em Porto Alegre, deu cadeia para jornalistas. Não são desprovidos de razão os que temem a cultura autoritária da esquerda (eu não estou dizendo que não existe a da direita mas quem manda em Brasília agora...).

Finalmente, se você quer saber a quantas anda nossa corrupção, consulte esta tabela da Transparency International.

A situação econômica você acha no IBGE (link fixo aí ao lado), para dados mais recentes. Mas a comparação mesmo está aqui (com alguma defasagem ainda), em formato PDF.

Obviamente, existe uma ligação entre estas liberdades e crescimento econômico e, a última evidência está aqui.

Agora você tem uma pista de porque prenderam brasileiros tentando pular a fronteira do México para os EUA, mas não o contrário... :D

terça-feira, fevereiro 24, 2004

Discussão quente...

Voltarei a este tema depois. Mas o leitor deve se informar....além da discussão econômica.

Anistia: estatuto de armas não diminuirá violência - Terra - Brasil
Educação: um bem tipicamente privado

E bem fornecido por este bom canal da TV a cabo: History Channel.

Divirta-se.
O inexplicável Kim Jong Il

Eis aí um sujeito cujo pai e, claro, ele próprio, são realmente intrigantes. O que leva um governante a sequestrar alguns residentes em países vizinhos?

Segundo a piada, "japonês é tudo igual" (e, não, obrigado, eu não quero quota racial ou algum outro tipo de benefício por causa da piada racista...prefiro que todos tenhamos uma lei que não privilegie grupos), certo?

Bem, o caso está explodindo estas semanas na imprensa japonesa. Isto porque não faz um ano que o ditador norte-coreano reconheceu o que todos já sabiam: que seu governo promoveu, nos anos 70 e 80, o sequestro de cidadadãos japoneses.

Motivação? Aparentemente tudo começou com os malucos do Exército Vermelho (um grupo socialista-comunista japonês famoso na época).

De Cuba, os caras saem nadando. Da Coréia do Norte, não só menos gente consegue escapar do governo comunista como os caras ainda só conseguem levar gente para lá à força.

Quantos norte-coreanos eu conheço? Bem, na década de 90, pouco antes de mudar de nome, o PCB (atual PPS) fez um seminário na Câmara dos Vereadores de Belo Horizonte. Eu fui lá assistir o Hélio Jaguaribe e acabei vendo um par de norte-coreanos lá.

Hoje eu me pergunto: será que eles estavam tentando expandir o programa de intercâmbio?

Nota final: o mais interessante é que não sequestraram cientistas. Só gente comum. Vai ver estavam tentando construir o famoso novo homem socialista. Diante da situação atual podemos dizer que o Homo Comunistus não será japonês....

Links:

1. Abduction by North Korea: How the victims were chosen and kidnapped

2. Documento oficial do Ministério das Relações Exteriores Japonês (pdf).

3.N Korea refuses to budge over abductees.

4. Amnesty International : Japan/North Korea: five Japanese abductees must be allowed freedom of choice.

5. Abductees accuse 'criminal' North Korea - Couple finally condemn 1978 kidnap by communist regime.

6. Um blog com boas motivações: Free North Korea!.

segunda-feira, fevereiro 23, 2004

A política como ela sempre foi

A matéria abaixo, do Reinaldo Azevedo (Primeira Leitura), tá muito boa. Mas me pergunto sobre a irracionalidade racional de um militante político. Será que pode-se usar isto para explicar o comportamento da grande platéia "torcedora" que existe na política? Ou será que é mesmo fanatismo irracional?

Psicólogos e economistas deveriam trabalhar juntos...

"Uma amiga petista me manda um e-mail. Está furiosa com a imprensa no geral, também com Primeira Leitura, é claro, comigo em particular, já que sou amigo e, nesse caso, fico com a pior parte "Uma amiga petista me manda um e-mail. Está furiosa com a imprensa no geral, também com Primeira Leitura, é claro, comigo em particular, já que sou amigo e, nesse caso, fico com a pior parte — no mais, é pessoa adorável. Ela me diz que, se a reação ao caso Waldomiro fosse sincera, seria, ainda assim, hipócrita. E, obviamente, avalia que nem mesmo a hipocrisia deve ser levada a sério. Tudo, em suma, diz ela, é mero pretexto para desestabilizar Lula. Ou seja: ela está com Marilena Chaui e não abre. Enquanto lia o que mandou, pensei duas coisas, em si mesmas contraditórias: em parte, ela está certa.

domingo, fevereiro 22, 2004

Estatização do governo: por que não?

Na época da campanha - e também em Porto Alegre, uma vez, com um militante que nem vale a pena citar o nome de tão fanático - gente bem próxima a mim dizia que eu estava maluco por achar que o partido do governo atual iria reverter privatizações.

Havia até um debate do tipo: "Maluf é anti-ético pois corrupto e sem princípios, mas eu voto no Lula porque sei que ele não vai cumprir o que prometeu por anos a fio" [E dizem que eu sou doido...]. Este pessoal até me jogou na cara que "o governo vai bem, obrigado. Já expulsaram os malucos radicais". Ok, foi bom enquanto durou.

Na última semana, contudo, o caso do bicho abalou a estrutura de muita gente. Alguém se lembra das gargalhadas dos amigos quando eu contava do caso da sede do PT de Porto Alegre, comprada, segundo denúncias, com dinheiro ligado ao jogo? Claro que não. Gostamos sempre de nos lembrar de nossos êxitos, não dos erros, certo?

Mas esqueça isto. Faça a retrospectiva 2003-4 e esqueça o problema de corrupção. Neste ano que passou vimos:(i) o governo brigando com as agências regulatórias (na direção de tirar a autonomia das mesmas, uma espécie de estatização branca); (ii) a proposta do governo de estatizar vagas de universidades privadas (dê o nome que quiser, a imprensa divulga como "estatizar" e o MEC não tem feito nenhuma queixa contra o uso do verbo) e, finalmente, (iii) agora o governo quer estatizar bingos.

O que estes três itens mostram? Bem, eles mostram que quem votou achando que não se faria o que se dizia ser bobagem pode estar tão enganado quanto quem acha que "ética" é passível de monopólio por algum partido político.

Nestas propostas todas só falta uma: estatizar o Estado e privatizar o mercado. Seria uma bela reforma. Atualmente, infelizmente, usa-se o Estado para fazer caixa para partidos políticos ou para benefícios privados outros de empresários sedentos de subsídios ou quotas para competidores. Até bicheiros sofrem com o "estado" atual das coisas.

Divertido isto.
Alô, amigos do voto eletrônico

Aqui está um site nacional sobre o problema do voto eletrônico. Vale a pena dar uma olhada.

votoseguro.org
VEM AÍ A BINGOBRÁS , A ESTATAL DOS BINGOS

O governo vai propor a estatização dos bingos e jogos virtuais, informou o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. "Ou estatiza tudo ou fecha tudo", disse o ministro. Bastos afirmou que a decisão adotada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sexta-feira, quando assinou medida provisória proibindo a atividade dos bingos no Brasil, "é uma posição firme e decidida contra o crime. O governo não está brincando, não haverá reabertura", disse.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, deveriam criar também a GOIABA-BRÁS, a estatal das goiabas. Será que alguém acredita que não há corrupção nas estatais ? Um dos grandes feitos de Fernando Henrique foi reduzir substancialmente a dimensão do estatal em atividades que não lhe são pertinentes. Bingo e jogos de azar em geral, estão longe de ser bem público.